Histórico

A Associação Brasileira de Carbono (ABCarb) é uma organização sem fins lucrativos fundada em 22 de outubro de 2007. Contudo, seu surgimento remete a 1992, quando foi organizado o 1° Encontro Técnico-Científico de Carbono/Grafite. Este encontro, que ocorreu entre 4 e 6 de novembro no Rio de Janeiro, reuniu mais de 32 trabalhos técnicos e 200 pesquisadores da comunidade científica de carbono no forte de Copacabana, sede do evento. O 2° Encontro Técnico-Científico de Carbono/Grafite foi realizado somente em 1999, depois de ultrapassar diversos obstáculos que dificultavam a realização de novos encontros. Neste encontro, que foi realizado no então Centro Técnico Aeroespacial (hoje Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), foram reunidas mais de 100 contribuições técnicas, indicando como a comunidade científica de carbono era significativa e ansiava pela realização de mais encontros específicos sobre carbono.

 

Em 2002, motivados pelo sucesso do evento passado e atendendo a uma demanda pela realização de um novo encontro específico de carbono, foi realizado o 1º Congresso Brasileiro de Carbono, realizado na Universidade Metodista de Piracicaba (UNIMEP). Este congresso reuniu diversos pesquisadores de todo o país, contando também com plenárias de pesquisadores renomados internacionalmente, como Dr. Jacek Jagiello (Quantachrome Instruments – EUA), Prof. Jacques Lamon (Universidade de Bordeaux 1 e presidente da AMAC – Associação de Materiais Compósitos – França), Prof. Hassan Hannache (Universidade Hassan Il-Mohamedia – Marrocos) e Prof. Evaldo Corat (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE). Este evento contou com 135 trabalhos científicos e com o apoio financeiro de empresas privadas e do Consulado Geral da França em São Paulo.

 

O 2º Congresso Brasileiro de Carbono ocorreu em 2004 na cidade de Vitória – ES. O evento contou com 120 participantes, incluindo pesquisadores, alunos e profissionais de empresas da área de materiais carbonosos e temas correlacionados. Este evento também contou com plenárias de pesquisadores internacionais, como o Prof. Francisco Rodríguez-Reinoso (Universidade de Alicante – Espanha) e o Prof. Ljubisa R. Radovic (Pennsylvania State University – EUA). O evento foi patrocinado pelo CNPq, Petrobras, Aracruz Celulose, CRQ-3ª Região, FACITEC, FEST, ITA, UNIMEP, UnB, IPD/CTEx, UCL, Banco do Nordeste, CST, Carboindustrial, Benetec, Vamtec, Carboderivados, Eucabraz e CVRD.

 

Em 2005 ocorreu o 3º Congresso Brasileiro de Carbono na cidade do Rio de Janeiro. Foram convidados 5 palestrantes internacionais: Elzbieta Frackowiak (Polônia); Isao Mochida (Japão); Brian Rand (Reino Unido); François Béguin (França) e; Xavier Bourrat (França). Neste evento, 198 participantes do Brasil, Argentina, Uruguai, Chile e Portugal puderam compartilhar seus conhecimentos e trabalhos sobre carbono. Houve apoio financeiro da Companhia Siderúrgica Nacional, do Centro Tecnológico do Exército e da Petrobras. Foi no final deste evento que se estabeleceu em ata o interesse da comunidade científica em criar uma associação que congregasse os pesquisadores e empresas envolvidos com carbono.

 

O 4º Congresso Brasileiro de Carbono ocorreu logo após a criação da ABCarb, em novembro de 2007, na cidade de Gramado – RS. Este evento teve a participação de 6 palestrantes internacionais: Andrea C. Ferrari (Reino Unido); Constantina Lekakou (Reino Unido); Christoph Bubeck (Alemanha); Gerard L. Vignoles (França); Hisao Kanda (Japão) e; Marc Monthioux (França). Houveram cerca de 200 participantes e o apoio financeiro da Petrobras e da FINEP.

 

O 5º Congresso Brasileiro de Carbono ocorreu novamente na cidade do Rio de Janeiro, em abril de 2011. O evento contou com 115 participantes e com 6 plenárias internacionais, sendo os palestrantes: Russell Judd Diefendorf (EUA);Timothy Burchell (EUA); Gareth B. Neighbour (Reino Unido); Sylvie Bonnamy (França); James Klett (EUA) e; Alain Penicaud (França). Houve o apoio financeiro da Petrobras, FAPEB e, pela primeira vez, o apoio FAPESP para pesquisadores do estado de São Paulo (Auxílio à Pesquisa – Reunião – Processo 11/06410-0).

 

O 6º Congresso Brasileiro de Carbono foi sediado em Vitória – ES, em novembro de 2015. O evento contou com as palestras de Luiz Depine de Castro (CTEx), Jacek Jagiello (Micromeritics), Malcolm Heggie (Universidade de Surrey) e Ado Jorio de Vasconcelos (UFMG). Aproximadamente 120 participantes atenderam ao congresso, que contou com o patrocínio da FAPES, CNPq, CAPES, Benemec Carbon Ind. Com. Ltda, Vale S/A e FAPESP (Auxílio à Pesquisa – Organização de Reunião Científica – Processo 15/17570-0).

 

Em 2017 a ABCarb completou 10 anos, e o 7º Congresso Brasileiro de Carbono foi realizado em Campos do Jordão. Nesta edição, foram apresentados 6 conferências plenárias (50 minutos), 26 apresentações orais (20 minutos) e 84 trabalhos em forma de poster (divididas entre 3 sessões de 90 minutos). Dentre os palestrantes convidados de reconhecimento internacional, fizeram-se presentes a Profa. Dra. Clascídia A. Furtado (CDTN/CNEN), o Prof. Dr. Manoel O. Alvarez Méndez (UNIMEP), o Prof Dr. Andrés Cuña Suárez (Universidad de la República – Uruguai) e o Prof. Dr. José Otávio Brito (USP/ESALQ). Também houve a apresentação plenária do MSc. Caetano Belda Martinez, da empresa TECSIS Tecnologia e Sistemas Avançados. Como nos anos anteriores, este evento também contou com o auxílio FAPESP (Auxílio à Pesquisa – Organização de Reunião Científica – Processo 17/17308-9).

 

O 8º Congresso Brasileiro de Carbono foi realizado em 2019 na cidade de São João del-Rei, em Minas Gerais. O evento foi promovido por docentes e discentes da Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ) em conjunto com o Instituo Federal do Sudeste de Minas Gerais (IFSMG) e o Centro de Desenvolvimento da Tecnologia Nuclear (CDTN). Foram 115 trabalhos submetidos e 10 palestrantes convidados.

 

Em 2021, devido a pandemia de coronavírus que se iniciou em 2020, o 9º Congresso Brasileiro de Carbono foi realizado pela primeira vez de forma virtual. Organizado por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) e do Instituto Nacional de Tecnologias Espaciais (INPE), o evento contou com 13 palestras de 30 minutos e 6 plenárias de 1 hora, feitas exclusivamente por pesquisadores consagrados na área de carbono. Foram pesquisadores de todas as regiões do Brasil contando, inclusive, com participações internacionais de pesquisadores do Uruguai e da Índia. Nesta edição, houve a mesa redonda “Carbono: do Oiapoque ao Chuí”, onde cada região foi representada por um pesquisador da área de carbono para discutir as pesquisas, os desafios e o que pode ser feito para aumentar a colaboração de pesquisas entre regiões diferentes. Os 74 trabalhos submetidos como pôsteres foram expostos no site do evento, sendo que os alunos e pesquisadores puderam interagir utilizando uma plataforma virtual.